Dia da Unidade do Comando Territorial de Coimbra da GNR comemora-se em Cantanhede

Cantanhede foi a cidade escolhida para a realização das cerimónias comemorativas do Dia da Unidade do Comando Territorial de Coimbra da GNR. A efeméride vai ser assinalada no próximo sábado, 4 de Junho, sob presidência do Major-General Carlos Alberto Baía Afonso, através de vários actos protocolares e acções representativas da identidade da força militar, culminando num grande desfile na Rua dos Bombeiros Voluntários, com a participação do Estandarte Nacional, Companhia de Infantaria, Destacamento de Intervenção, Pelotão Motorizado, Esquadra de Cavalaria, Charanga a Cavalo e Pelotão Infantil.

Mas o programa começa já na sexta-feira, 3 de Junho, com um concerto do Quarteto de Cordas da Guarda Nacional Republicana a realizar nos claustros dos Paços do Concelho, a partir das 21h30.

No sábado, as comemorações iniciam-se bem cedo. Depois do hastear solene da Bandeira Nacional, às 9h00, haverá uma formatura pronta às 10h30, frente ao quartel, seguindo-se a recepção às entidades, a prestação de honras militares, a revista às forças em parada, a imposição de condecorações, a homenagem aos militares falecidos e, finalmente, o desfile das forças.

A GNR em Cantanhede

A criação de um posto da GNR em Cantanhede partiu de diligências efectuadas pela Câmara Municipal em 1914, tendo sido iniciadas as obras para o seu aquartelamento e casa de residência do comandante logo que houve a comunicação oficial de que se achava autorizada a sua instalação. Mas só em Janeiro de 1917 chegou uma pequena força de quatro soldados e um cabo e um sargento, que no entanto não permaneceu durante muito tempo.

Em Junho de 1920 foi novamente instalado o posto, desta vez com oito soldados, cabo e um sargento, acto que contou com a presença do Comandante da Companhia, Capitão João Henriques de Almeida.

Pouco tempo depois, em Abril de 1922, o número de efectivos foi aumentado com dois praças e, em 1925, passou a contar com mais três soldados e um cabo, este a cavalo.

Em 1927, o posto foi de novo extinto, mas a insistente intervenção da Câmara Municipal e das forças vivas do concelho junto das entidades competentes veio a resultar na sua reactivação em Setembro do mesmo ano, com a vinda de oito soldados, um cabo e um sargento.

No ano de 1952, a Câmara Municipal adquiriu ao Dr. Gilberto Veloso da Costa o prédio onde veio a ser construído o quartel da Guarda Nacional Republicana em Cantanhede. Actualmente, o seu efetivo é constituído por dois sargentos e 25 guardas.