Crioestaminal proporciona um dia sobre ciência a crianças da Casa do Gaiato e oferece bicicletas Esmaltina

A Crioestaminal, laboratório de criopreservação líder em Portugal e um dos maiores da Europa, em parceria com a Esmaltina, fabricante português de bicicletas, e o Biocant, o maior parque biotecnológico do país, vai realizar, no próximo dia 21 de Janeiro, a cerimónia final do projecto de Responsabilidade Social “Pedalar por um Futuro Melhor”.

A iniciativa junta duas empresas portuguesas que, além da origem na Região Centro, partilham outros valores: a Crioestaminal é o único laboratório de criopreservação em Portugal que investe em I&D de novas aplicações terapêuticas de células do sangue e do tecido do cordão umbilical, posicionando-se ao serviço da ciência e das famílias que entregam ao seu cuidado o mais importante de si. O valor da inovação em prol da família é, também, partilhado pela Esmaltina, que desenvolve as melhores soluções de engenharia para o meio de transporte mais sustentável e recreativo do planeta. Com mais de 3 milhões de bicicletas exportadas para a Europa, África e América do Sul, também a internacionalização e a exportação são partilhadas pela Crioestaminal, que opera em Espanha, Itália e Suíça.

A confiança que já mais de 70 mil famílias depositaram na Crioestaminal tornou natural a atribuição das bicicletas à Casa do Gaiato de Lisboa – instituição de apoio a jovens rapazes sem família.

Após a deslocação de 35 colaboradores da Crioestaminal à fábrica da Esmaltina, em Sangalhos, para participarem no processo de fabrico e montagem das bicicletas, a iniciativa culmina com a cerimónia de entrega das bicicletas produzidas aos jovens presentes no Biocant.

Além de obterem uma bicicleta personalizada, os jovens vão, ainda, poder visitar o Laboratório da Crioestaminal para melhor compreender o que é a Criopreservação e envolver-se em actividades experimentais no Centro de Ciência Júnior do Biocant, nas quais será promovido o primeiro contacto com a Biotecnologia.

“Esperamos proporcionar aos jovens da Casa do Gaiato um dia que lhes fique na memória. Além de levarem uma Esmaltina para casa, queremos permitir-lhes uma quebra na sua rotina habitual e contribuir para o enriquecimento e aquisição de conhecimento, da mesma forma que também pretendemos transmitir-lhes uma mensagem de incentivo ao esforço na construção de um futuro positivo. Simultaneamente, envolver os colaboradores da Crioestaminal no fabrico das bicicletas é uma forma de fortalecer a relação da empresa com a comunidade e de permitir aos nossos trabalhadores a colaboração em actividades de cariz cívico nos quais se reveem”, destaca André Gomes, Fundador e CEO da Crioestaminal.

Teresa Antunes, da Casa do Gaiato, refere que “a capacidade de as empresas fazerem parcerias que mudam o dia-a-dia dos nossos jovens é muito importante para a Casa do Gaiato. A Crioestaminal e a Esmaltina vão permitir que se sintam valorizados, e o facto de a entrega das bicicletas decorrer no maior Parque Biotecnológico do país é um elemento simbólico muito importante, que remete para o futuro – aquilo que queremos que estes jovens tenham e sejam capazes de construir autonomamente. Estamos muito gratos.”

Sobre a Crioestaminal

A Crioestaminal, fundada em 2003, foi o primeiro banco de criopreservação em Portugal, sendo o maior da Península Ibérica e o quarto a nível europeu. Sediado no Parque Biotecnológico de Cantanhede, emprega mais de 80 colaboradores e tem presença direta em quatro países da Europa (Portugal, Espanha, Itália e Suíça). É o único banco ibérico acreditado pela AABB (Advancing Transfusion and Cellular Therapies Worldwide), sendo um dos mais influentes e inovadores bancos de células estaminais do cordão umbilical do mundo. Tem mais de 70 mil amostras criopreservadas desde a sua fundação, sendo o player em Portugal com o maior número de amostras resgatadas e transplantes realizados, com 13 transplantes em oito crianças. Promove um trabalho de referência na terapêutica com células estaminais, com duas patentes internacionais registadas e vários projetos de investigação em curso. Investe, anualmente, cerca de 10% do seu volume de negócios em Investigação & Desenvolvimento.