Crioestaminal lidera projecto sobre a utilização das células estaminais em doentes que sofreram AVC

A Crioestaminal, sediada no Biocant Park, em Cantanhede, lidera um projecto de investigação inovador, em cooperação com a Universidade de Coimbra (UC), o Hospital Rovisco Pais, e o Centro Hospitalar Universitário de Coimbra (CHUC), no sentido de determinar o papel das células estaminais na recuperação de doentes que sofreram Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Este projecto inclui a aplicação clínica de células estaminais autólogas da medula óssea (do próprio) em doentes que tenham sofrido AVC isquémico1, esperando-se que ocorra a regeneração da área afectada, conduzindo à recuperação de algumas faculdades, cognitivas e/ ou motoras.

Os ensaios pré-clínicos realizados com animais mostraram que o transplante de vários tipos de células estaminais é capaz de induzir um processo de reparação cerebral. As células transplantadas conseguem diferenciar-se em células neuronais e células vasculares, conduzindo a uma recuperação das funções afectadas.

O projecto tem por principais objectivos avaliar o efeito terapêutico de células CD34+2 da medula óssea de doentes com AVC, na fase subaguda. Para tal, estes doentes serão seguidos/acompanhados durante vários meses, tal como um grupo controlo, para avaliar a eficácia deste tratamento inovador.

Ainda este ano vai iniciar-se a recolha das células estaminais da medula óssea de doentes identificados pelo Hospital Rovisco Pais. Os resultados deste projecto são esperados para o final de 2018.