Crédito Agrícola de Cantanhede e Mira mantém o apoio às IPSS locais

O Crédito Agrícola de Cantanhede e Mira ofereceu donativos num total de 11.800 euros. Esta oferta abrangeu 28 entidades, incluindo as IPSS’s suas clientes e os Bombeiros Voluntários de ambos os concelhos.

Próximo dos 40 anos de existência, esta Caixa tem vindo a manter, desde sempre, este donativo pela época de Natal. Contudo, o apoio à questão social não se limita a esta oferta, pois o Crédito Agrícola desenvolveu um conjunto de produtos e serviços diferenciadores, agrupados num protocolo, reforçado com ofertas específicas que lhe permite apoiar estas entidades ao longo do ano.

O Crédito Agrícola é uma Instituição Bancária cooperativa, com capitais totalmente nacionais provenientes dos seus associados. Nela prevalecem valores como a solidariedade, a proximidade e a equidade, que orientam a sua actividade.

“Nesta conjuntura revela-se ainda mais importante que estes valores se concretizem, unindo esforços com os vários agentes e promotores sociais. Isto permite-nos devolver à comunidade a riqueza que ela mesma gerou”, afirma Carlos Alberto Pereira Martins, Presidente do Conselho de Administração da Caixa de Crédito Agrícola.

Esta tem sido a postura da Caixa de Crédito Agrícola de Cantanhede e Mira que, ao longo dos anos, tem procurado contribuir para o desenvolvimento da região onde se insere, apoiando entidades com um papel social inquestionável tais como as IPSS’s e associações, valorizando o ensino e os melhores desempenhos escolares, lançando iniciativas de literacia, contribuindo para um comportamento ambientalmente mais responsável, elegendo o desporto como um método eficaz de formação de jovens e de integração social, promovendo o desenvolvimento cultural da nossa região.

Estas pequenas acções fazem parte de uma postura que dita toda a actividade desta instituição bancária e que se resume claramente numa frase que é também a sua assinatura para a Política de Responsabilidade Social: “Juntos somos muito mais que um banco, porque juntos apoiamos mais.”