Concerto memorável da Orquestra Clássica do Centro em Febres

Cerca de 500 pessoas assistiram ao concerto que a Orquestra Clássica do Centro realizou no Pavilhão Multiusos de Febres, no passado dia 5 de outubro, assinalando a celebração do 108.º aniversário da Implantação da República.

Sob a direção do maestro titular Jan Wierzba, estiveram em palco a soprano Marina Pacheco e mais de 50 músicos, incluindo 18 instrumentistas de bandas filarmónicas convidadas, entre as quais a Phylarmonica Ançanense, a Filarmónica de Covões e a Associação Musical da Pocariça, que integraram aquela prestigiada formação orquestral como músicos convidados, tal como prevê o projecto OCC Convida no âmbito do programa ‘Coimbra Região de Cultura’, promovido pela CIM – Comunidade Intermunicipal Região de Coimbra.

A actuação da Orquestra Clássica do Centro em Febres decorreu nesse âmbito, ao abrigo de um protocolo de cooperação celebrado para o efeito com o Município de Cantanhede e que neste caso envolveu também o apoio da Junta de Freguesia de Febres e da Gira Sol – Associação de Desenvolvimento de Febres.

Durante o concerto foram interpretadas algumas obras emblemáticas do repertório clássico, entre as quais a Abertura da Ópera La Gazza Ladra (Gioachino Rossini), Dança Hungara n.º 1, de Johannes Brahms, Dança Eslava n.º 8 (Antonín Dvorák), Valsa do Imperador (Johann Strauss II) e Pompa e Circunstância n.º 1 (Edward Elgar).

Além da participação dos músicos das filarmónicas do concelho, o envolvimento local no espectáculo ganhou ainda maior expressão com a participação do coro Pequenas Vozes de Febres na execução de algumas peças, como Can Can, de Offenbach, e Toreador, da Ópera Carmen, da autoria de Georges  Bizet.

Para além do concerto da Orquestra Clássica do Centro, o projecto “Coimbra Região de Cultura”, previsto no âmbito do protocolo da CIM – Região de Coimbra com o Município de Cantanhede, contempla várias outras acções culturais de índole diversa ao longo dos próximos meses.

Cofinanciado pelo CENTRO 2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), a iniciativa está “estruturada em três ciclos temáticos anuais, que consubstanciam a criação, desenvolvimento e implementação de diferentes “camadas” da rede de programação intermunicipal. A sua concretização assenta na organização de um conjunto diverso de atividades, tendencialmente distribuídas ao longo de vários fins-de-semana, de sexta a domingo, nos dezanove municípios da Região de Coimbra, contribuindo, assim, para o alargamento da estada média dos visitantes e turistas”.