Cientista Lima-de-Faria teve recepção na Câmara Municipal de Cantanhede

O geneticista António Lima-de-Faria esteve esta terça-feira, 15 de Maio, nos Paços do Concelho de Cantanhede, onde foi recebido pela líder do executivo camarário, Helena Teodósio, no âmbito de uma receção em que participaram também o vice-presidente da Câmara, Pedro Cardoso, os vereadores Adérito Machado, Célia Simões e Gonçalo Magalhães, o ex-presidente da autarquia Rui Crisóstomo, bem como representantes de várias entidades e dezenas de funcionários do Município.

Acompanhado da esposa, Hanna, Lima-de-Faria ouviu de Helena Teodósio “um testemunho de reconhecimento pela honra de o recebermos neste espaço nobre e pelo privilégio de o podermos ouvir falar um pouco sobre a sua vida dedicada à investigação científica, na sequência da conferência que proferiu para centenas de alunos do Agrupamento de Escolas Lima-de-Faria. Foi uma experiência extraordinária para aqueles jovens estudantes terem assistido a uma aula de tão eminente figura da ciência que tem particularidade de ser também o patrono da sua escola”, sublinhou a autarca.

A presidente da Câmara Municipal falou ainda da “ligação ao Município deste filho ilustre de Cantanhede, uma ligação aliás institucionalizada na atribuição da medalha de Ouro da Cidade, em 1996, e na criação do Prémio Professor Doutor Lima-de-Faria, para distinguir o aluno do concelho com melhor média final no ensino secundário, sem esquecer o significado da doação que fez há alguns anos da sua biblioteca científica, um valioso acervo que inclui livros sobre diversas áreas do conhecimento e uma importante colecção de mapas de Portugal, alguns datados do século XVI”.

Por seu lado, o Professor Lima-de-Faria começou por se congratular com o facto de a Câmara Municipal ter criado “um prémio com o seu nome para distinguir o desempenho escolar dos jovens do ensino secundário. É muito mais importante do que ter o nome numa rua” afirmou, dando conta que, passados vinte anos da criação do prémio, escreveu a todos os galardoados “para saber das suas carreiras e, também, da utilidade do prémio”.

O cientista considera que “mais importante do que o que está nos livros é a curiosidade perante o que não se sabe, perante o desconhecido, é aí que reside o avanço da ciência e é isso que explica minha vida dedicada à investigação científica”.

António José Cortesão Lima de Faria nasceu em Cantanhede a 4 de Julho de 1921 e doutorou-se em genética pela Universidade de Lund (Suécia), onde, desde o início da década de cinquenta do século passado, se destacou como proeminente cientista e docente.

Com uma carreira reconhecida a nível mundial pelo seu contributo para o avanço da ciência, particularmente no campo da citogenética molecular, do seu currículo académico e científico salienta-se a vasta actividade em algumas das mais prestigiadas universidades e institutos da sua área de investigação, nomeadamente nos Estados Unidos e Grã-Bretanha, bem como o seu trabalho como membro e consultor de influentes organismos e comités internacionais no domínio da pesquisa científica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *