Cheirar vinho previne Alzheimer e Parkinson

Segundo um estudo recentemente realizado pela Cleveland Clinic, nos Estados Unidos, e pela Université du Québecà Trois-Rivières, no Canadá, cheirar vinho pode ajudar a prevenir doenças neurológicas como o Alzheimer e o Parkinson.

Os investigadores chegaram à conclusão que a capacidade de avaliar o vinho a partir do olfato também pode fazer bem à saúde, depois de terem percebido que um grupo de sommeliers – especialistas em vinho – desenvolveram mais as áreas do cérebro ligadas a doenças neurodegenerativas.

Esta constatação surgiu depois de os investigadores compararem um grupo de sommeliers a pessoas sem conhecimentos técnicos sobre o vinho – através de questionários e de ressonâncias magnéticas, analisando tanto a estrutura como as funções cerebrais dos participantes.

De acordo com a revista Saúde, os resultados demonstraram que áreas do cérebro dos sommeliers, ligadas ao olfacto e à memória, se encontravam mais desenvolvidas e activas do que as das pessoas que não eram especialistas em vinho, e que este desenvolvimento pode ser muito importante, uma vez que estas regiões estão mais propensas a serem atingidas por demências que surgem com o avançar da idade.