Casa Carlos de Oliveira recebeu dupla apresentação editorial

A Casa Carlos de Oliveira, em Febres, foi o local escolhido para uma dupla apresentação literária de dois dos autores gandareses mais elogiados: Cidalino Madaleno e António Canteiro (pseudónimo de João Carlos Cruz).

Na tarde do passado dia 18 de Novembro, na casa-museu Carlos de Oliveira, em Febres, respirou-se cultura nas suas mais variadas formas. Os principais “heróis” do dia foram Cidalino Madaleno e António Canteiro que apresentaram as suas mais recentes obras, “A Educação, a Cultura e o Desporto” e “A Luz Vem das Pedras”, respectivamente.

A introduzir e apresentar os autores esteve Pedro Cardoso, vice-presidente da Câmara Municipal de Cantanhede e também vereador da cultura, que aproveitou a ocasião para elogiar o local escolhido para a apresentação: “Um espaço emblemático, onde é possível ecoar as palavras, vivências e experiência literária de Carlos de Oliveira, uma inspiração para os autores que hoje aqui apresentam as suas obras”.

Licínia Pessoa, Presidente da Assembleia de Freguesia de Febres, congratulou ambos os autores, recordando a importância de eventos como este, “uma vez que a cultura é o alimento da nossa alma”.

Feitas as apresentações, António Canteiro tomou a palavra, começando por recitar um dos poemas de Carlos de Oliveira e evocando o conceituado autor, apaixonado pela Gândara e que tantas vezes lhe serviu de inspiração e exemplo.

Depois, seguiu-se a apresentação do seu último romance “A Luz Vem das Pedras”, galardoado em 2015 com o prémio Alves Redol. Para tal, o autor natural de São Caetano contou com a colaboração do Clube de Leitura da Biblioteca Municipal de Cantanhede, para a recitação de um excerto da obra.

António Canteiro fez ainda um pequeno resumo do livro, cuja história passa pelo período da ditadura e da guerra colonial e que aborda temas como amores e desamores e a tuberculose, aguçando, assim, o apetite dos presentes para a sua leitura.

De seguida, foi a vez de Cidalino Madaleno apresentar “A Educação, a Cultura e o Desporto”, VI volume da série Construir a Memória da Região de Cantanhede, um projecto ambicioso lançado pela Câmara Municipal de Cantanhede a que o febreense acedeu com uma dedicação de anos.

“Foi um trabalho muito solitário. Dias inteiros, muitas horas por dia. É necessário um grande apoio moral para não se desistir a meio”, destacou o autor, agradecendo especialmente à família que esteve sempre do seu lado.

Com a boa disposição e sentido de humor que já lhe são sobejamente conhecidos, Cidalino Madaleno leu vários excertos das suas obras, que resultaram em gargalhadas na audiência, composta essencialmente de amigos e familiares de ambos os autores.

O evento contou ainda com dois momentos musicais, um primeiro a cargo de Manuel Ribeiro e Vítor Santos, que encantaram o público com algumas peças em guitarra, e outro com os saxofonistas André Pereira e Guilherme Madaleno.