Cantanhede/Bairrada apresenta candidatura a Cidade Europeia do Vinho/2018

Celebrar o vinho. É este um dos principais objectivos que levou Cantanhede e a Bairrada a concorrerem à obtenção do estatuto de Cidade Europeia do Vinho 2018. A candidatura, apresentada ontem (27 de Novembro), nos Paços do Concelho, surge no âmbito de uma parceria do Município de Cantanhede com as Câmaras Municipais de Águeda, Anadia, Aveiro, Mealhada, Oliveira do Bairro e Vagos. No dia 30 de Novembro, será submetida à apreciação do júri da RECEVIN  – Rede Europeia das Cidades do Vinho, que reunirá no Parlamento Europeu, em Bruxelas, para decidir qual dos seis projectos portugueses em concurso vai ser implementado no próximo ano.

De acordo com os objectivos da iniciativa, a candidatura de Cantanhede/Bairrada pretende “reforçar papel do vinho e da vinha enquanto símbolo da identidade da região, contribuindo para o reconhecimento social desta actividade, para a elevação da qualidade de vida das populações e para o desenvolvimento sustentável do território”.

Por outro lado, a aposta na parceria com os municípios por onde se estende a região bairradina visa fortalecer a cooperação entre todos os agentes directa ou indirectamente ligados ao sector, “com o fim maior de promover o vinho, a gastronomia e outros fatores de atractividade no domínio do enoturismo, tirando partido do vasto leque de referências comuns em que se alicerça uma cultura secular rica em tradições no âmbito da produção vinícola”.

Os promotores da candidatura acreditam que esta tem um fator diferenciador que a distingue das demais e que representa uma importante mais-valia, designadamente o investimento que tem vindo a ser feito na inovação, no sentido de potenciar a forte identidade e a excelência dos vinhos da Bairrada no reforço da sua competitividade.

“Depois da evolução registada nas últimas décadas, quer ao nível da reconversão e reorganização das áreas de exploração, quer na introdução de novos métodos nas diversas fases do ciclo do vinho, a mais recente aposta incide em projectos de investigação de acentuada componente tecnológica e científica que estão a ser desenvolvidos para o setor na Unidade de

Genómica do Biocant, em Cantanhede”, defende a candidatura. Outro argumento de peso tem que ver com o número de iniciativas incluídas no programa proposto no projecto de Cantanhede/Bairrada para o concurso Cidade Europeia do Vinho 2018. No total são 72 acções, que englobam mais de 1 milhão de visitantes, algumas organizadas especificamente nesse âmbito, como a Gala Cidade do Vinho 2018 e o Dia Europeu do Enoturismo.

Finalmente, também os parceiros estratégicos valorizam a candidatura. “São cerca de 100 as entidades envolvidas ou que manifestaram expressamente o seu apoio, como a CIM – Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra, a CCDRC – Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro, o Turismo Centro de Portugal, a Comissão Vitivinícola da Bairrada, a Associação Rota da Bairrada ou a Fundação Mata do Buçaco”.

Promover o que é nosso

Durante a apresentação, Victor Damião, na qualidade de vice-presidente da Comissão Vitivinícola da Bairrada, recordou que esta “é uma região muito especial no que diz respeito ao vinho”.

“Além disso nota-se que há um aumento progressivo e dinâmico no sector e na forma como é reconhecida, no País e também no estrangeiro”, sendo, por isso, um “júbilo apoiar Cantanhede nesta candidatura”.

Em representação da CIM esteve José Brito, vice-presidente desta entidade, que se mostrou satisfeito com a candidatura “Através da união destes concelhos, acredito que a candidatura tenha todos os ingredientes para sair vencedora”.

Já para Pedro Machado, Presidente da Turismo do Centro, a candidatura vai no sentido de diversificar a atractividade da região. “É uma forma de valorização de uma área que tem valor económico mas também um grande valor turístico que é preciso explorar”, frisou Pedro Machado, destacando quatro factores: “A reunião de todas as vontades, a reunião de produtores – o ADN desta actividade, a capacidade de organização e a parceria entre municípios”.

No final da apresentação, houve ainda a degustação de alguns petiscos bairradinos, como chanfana, leitão, cabidela e negalhos, acompanhados por alguns vinhos da Adega de Cantanhede, da Quinta de Baixo e da Kompassus, que foram previamente apresentados por cada uma das adegas.