Cantanhede vai ter Núcleo de Atendimento e Acompanhamento a Vítimas de Violência Doméstica

A Câmara Municipal de Cantanhede deliberou aprovar os termos de um protocolo a celebrar com a Associação Fernão Mendes Pinto, nos termos do qual esta entidade vai instalar em Cantanhede o Núcleo de Atendimento e Acompanhamento a Vítimas de Violência Doméstica.

Segundo o que consta do acordo, a autarquia cantanhedense cede, a título gratuito, duas salas da Casa Francisco Pinto para desenvolvimento das actividades previstas para aquela estrutura de apoio, facultando ainda acesso a espaços comuns que incluem instalações sanitárias e sala de espera. Por seu lado, a Associação Fernão Mendes Pinto assegurará o funcionamento do Núcleo de Atendimento e Acompanhamento a Vítimas de Violência Doméstica de Cantanhede todos os dias úteis, de segunda a sexta-feira, das 9h00 às 13h00 e das 14h00 às 17h00, ficando em aberto a possibilidade de este horário ser ajustado em função das necessidades das vítimas e dos recursos disponíveis. Nesse âmbito, “o atendimento e o acompanhamento de natureza social, psicológico e/ou jurídico será realizado por profissionais habilitados com a qualificação de técnico/a de apoio à vítima, da responsabilidade da Associação Fernão Mendes Pinto”.

A iniciativa parte do reconhecimento de que “atender e acompanhar as vítimas de violência doméstica implica uma intervenção multidisciplinar integrada, especializada, confidencial e individualizada, através do desenvolvimento de um conjunto articulado de diligências, entre as quais a intervenção em situação de emergência, a avaliação e gestão do grau do risco, a definição de planos de segurança e a elaboração de planos individuais de intervenção”.

As entidades promotoras consideram que a instalação do referido núcleo em Cantanhede permitirá responder às necessidades, contribuindo para a melhoria dos serviços prestados à comunidade e para a rentabilização de recursos. “Deste ponto de vista é importante o núcleo ficar a funcionar na Casa Francisco Pinto, onde estão instaladas várias valências de âmbito social, o que permite valorizar e potenciar o trabalho de todas”, sublinha a presidente da Câmara Municipal, Helena Teodósio. Para a autarca, “o protocolo com a Associação Fernão Mendes Pinto permite alargar o leque de respostas sociais do Município a um problema que todos gostaríamos que não existisse mas que infelizmente ainda existe, pelo que valorizamos muito a criação de condições que vão permitir desencadear rapidamente os mecanismos de protecção às vítimas”.  

A coordenação do núcleo ficará a cargo da vice-presidente da Associação Fernão Mendes Pinto, Marta Santos, que na apresentação do projecto explicou que a decisão de avançar com a constituição do núcleo em Cantanhede “se insere no plano estratégico da instituição”, uma vez que esta, apesar de estar sediada em Montemor-o-Velho, “intervém em várias áreas nos concelhos limítrofes”, de modo a dar resposta aos problemas nos territórios onde eles são detectados.

Também presentes na apresentação do projecto estiveram dois técnicos da associação, designadamente a psicóloga clínica Joana Nascimento e o criminologista João Pedro Marques Fernandes, que explicaram que o objectivo é “prestar apoio emocional, psicológico e social às vítimas, numa lógica de prevenção e sensibilização orientada para os jovens, a comunidade em geral e os profissionais de várias áreas”.