Câmara de Cantanhede promove construção de columbário para os combatentes

A Câmara Municipal de Cantanhede vai avançar com a construção de um columbário no cemitério de Cantanhede, tendo em vista a deposição dos restos mortais dos antigos combatentes da primeira e da segunda grandes guerras, bem como dos soldados que participaram na guerra colonial.

Adjudicada por 14.164 euros, a empreitada vai ser iniciada brevemente, dando assim cumprimento ao previsto no protocolo celebrado entre o Município de Cantanhede e a Liga dos Combatentes, na sequência das diligências efectuadas para o efeito pelo núcleo local desta entidade.

Nos termos do acordo, a autarquia assumiu os custos inerentes à elaboração do projecto e à edificação do columbário, com 60 gavetas, para onde serão transladadas as ossadas dos militares expedicionários e combatentes sepultados nas 25 campas existentes no Cantão H do Cemitério Municipal, área que a Junta de Freguesia de Cantanhede, por deliberação datada de 8 de Abril de 1934, destinou para esse fim.

Nesse sentido, cabe à Câmara Municipal notificar as respectivas famílias da transladação das ossadas, “a efectuar por uma empresa da especialidade, mediante o cumprimento de todas as normas aplicáveis a este género de operações”, e afixar editais relativamente a combatentes de quem se desconhece a existência de familiares.

Os restantes 35 lugares destinam-se aos militares falecidos que serviram Portugal em conflitos armados, nomeadamente sócios da Liga dos Combatentes residentes no concelho de Cantanhede. Segundo o que consta no protocolo, a esta entidade compete “colaborar com a autarquia, dando o seu parecer e acompanhando as obras de construção do columbário, efetuar os contactos com os familiares dos combatentes sepultados noutros locais e recolher a competente autorização para a transladação das ossadas, acompanhando todo processo”, além de ficar responsável pela limpeza e manutenção do túmulo.

Destinado a dignificar a memória dos soldados do concelho que se bateram em nome de Portugal em diferentes cenários de guerra, alguns dos quais mortos em combate, o monumento será edificado na zona norte do Cemitério de Cantanhede, criando também condições de desocupação da parcela correspondente ao Cantão H, designadamente com a transladação dos antigos combatentes da grande guerra aí sepultados.

O caderno de encargos da obra prevê a construção de quatro plataformas verticais com um total de 60 gavetões revestidos com lajes de pedra calcaria amaciada, uma estrutura quadrangular que ficará implantada na zona central da parcela que lhe está destinada, ficando assim assegurada a existência de corredores de acesso em toda a envolvente.