Cães abandonados preocupam Freguesia de Murtede

O rápido crescimento e proliferação de animais abandonados na freguesia de Murtede está a preocupar a população e autarquia na Freguesia de Murtede. De acordo com o executivo da JF Murtede, “com a proibição do abate dos animais nos canídeos, desde 23 de Setembro de 2018, que a recolha de animais deixou de ser feita pelo Centro de Recolha Municipal, com excepção dos casos em que o estado de saúde ou o comportamento dos animais a isso obrigue”.

Num curto espaço de tempo chegaram à Junta de Freguesia local diversas denúncias a reportar ocorrências com cães errantes ou abandonados, nomeadamente perseguições e ataques por matilhas em diversas localidades da freguesia, que assustam os visados e já provocaram mesmo a queda de peões e ciclistas que encetavam a fuga aos ditos ataques. Por outro lado, foram também recebidas reclamações relacionadas com outros aspectos, como sejam problemas de higiene e salubridade (presença de animais junto à entrada da Extensão de Saúde) e de segurança rodoviária (alimentação de animais junto à área de serviço da A1, que acabam por conseguir aceder à zona de autoestrada).

“Sendo importantíssimos os direitos dos animais, é visão da Junta de Freguesia que não se pode resolver o problema da captura e abate sem antes ter resolvido o problema do abandono e das consciências (ou da falta delas). A Junta tem dado eco às preocupações da população e tem dialogado com diversas entidades no sentido de minimizar os problemas detectados, mas verifica-se diariamente que a forma como a legislação foi implementada traz mais problemas que os que resolve e, se nada for feito, casos mais graves se registarão”, afirma o presidente da Junta, Carlos Fernandes.

Na sequência desta problemática, quer a Junta de Freguesia de Murtede, quer a Assembleia de Freguesia de Murtede tomaram uma posição clara, aprovando por unanimidade uma moção intitulada “Os animais são importantes mas as pessoas estão primeiro” que foi enviada a todos os partidos com assento parlamentar, responsáveis pela aprovação da legislação vigente, no sentido de os sensibilizar para a adopção de medidas que minimizem as questões acima identificadas.

Na moção pode ler-se que a Freguesia de Murtede” apela a todos aqueles com responsabilidade nesta matéria que avaliem a aplicação e eficácia da Lei, que manifestamente parece estar a ter um efeito contrário ao seu espírito. Tanto mais que o processo legislativo parece ter começado invertido, já que se pretendeu resolver o problema do abate sem que antes se tenha resolvido o problema do abandono. Assim, apela-se à resolução dos problemas entretanto criados, porque os animais são importantes, mas as pessoas estão primeiro.”