Bombeiros de Cantanhede formaram mais de 450 pessoas em socorrismo

O Gabinete de Saúde da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Cantanhede (AHBVC) já certificou mais de 450 pessoas em Noções Básicas de Socorrismo. De acordo com as contas da Associação, ao todo, a formação foi frequentada, com aproveitamento, por um total de 456 formandos, desde que arrancou, em Novembro de 2011.

Desde então, foram realizadas 25 edições, seis no quartel dos BVC, em Cantanhede, nove em diversas freguesias do concelho (duas na Tocha e as restantes em Cordinhã, Portunhos, Outil, Ançã, Sanguinheira, Cadima e Ourentã), sendo que oito foram especialmente dirigidas a empresas e duas para instituições particulares de solidariedade do concelho.

Entretanto encontram-se em preparação mais duas edições, uma na Junta de Freguesia de Febres, com início previsto para 12 de Abril, e outra dirigida a uma empresa com sede no concelho de Cantanhede.

Destinado a dotar o cidadão comum de conhecimentos teórico-práticos de socorrismo, para que todos possam ser mais um prestador de primeiros socorros e elo activo do Sistema Integrado de Emergência Médica, o curso “Noções Básicas de Socorrismo” da AHBVC é destinado a todos os interessados com mais de 17 anos de idade e sem formação na área. Nas edições realizadas nas freguesias, decorre em sessões de duas horas e meia realizadas duas vezes por semana (às terças e sextas-feiras), em horário pós-laboral (das 20h30 às 23h00).

Quando foi lançada, no final de 2011, a formação tinha uma duração total de 15 horas. Desde então viu aumentada a sua carga horária à medida que os conteúdos programáticos foram sendo adaptados às pretensões dos seus destinatários.

Actualmente, o curso tem a duração total de 22 horas e meia, distribuídas por nove sessões. Entre os conteúdos leccionados encontram-se “Assistência à vítima: abordagem ao acidente/sinistro”, “Alterações do conhecimento: alcoolismo agudo, convulsões, epilepsia, lipotimia, síncope, hipoglicémia”, “Dores precordiais”, “Hemorragias, intoxicações, queimaduras, feridas e afogamentos”, “Lesões músculo-esqueléticas”, “Traumatismos”, “Reanimação cardiorrespiratória”, “Primeiros Socorros Psicológicos” e “Primeiros Socorros Pediátricos”.

O curso tem também uma importante componente prática, incluindo sessões onde os formandos são incentivados a colocar em prática os conhecimentos adquiridos, com recurso a manequins de Reanimação Cardio-Pulmonar (RCP).

Completamente gratuito para os participantes, o curso tem um custo simbólico para a entidade que o requisita, de modo a financiar o material distribuído pelos formandos.

Volvidas 25 edições e formadas mais de 450 pessoas, o balanço da aposta da AHBVC nesta formação não podia ser mais positivo. Os participantes são unânimes em apontar os conteúdos lecionados como de extrema importância para o seu dia-a-dia, elogiam o nível de conhecimentos dos formadores, bem como a sua capacidade de os transmitir, aconselham o alargamento dos conteúdos programáticos e consecutivamente da carga horária e apelam à criação de um nível seguinte, que lhes permita aprofundar conhecimentos e melhorar as suas competências em primeiros socorros.

Embora num futuro próximo seja impraticável responder positivamente a estes pedidos, Jorge Balteiro, vice-presidente da Direcção da AHBVC e coordenador do Gabinete de Saúde, adianta estar em perspetiva a criação de uma formação dedicada exclusivamente aos primeiros socorros pediátricos, correspondendo às inúmeras solicitações recebidas pela Associação.