Barrinha de Mira vai ser desassoreada por intervenção da Polis Ria de Aveiro

A sociedade Polis da Ria de Aveiro submeteu uma candidatura para o desassoreamento da Barrinha de Mira ao Programa Operacional da Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos (PO SEUR).

Designada “Desassoreamento da Barrinha de Mira com Transposição de Sedimentos para o Litoral”, a candidatura surge no âmbito do aviso PO SEUR 09-2016-48 – Protecção do Litoral e, segundo o presidente da Câmara Municipal de Mira , Raul Almeida, “é o culminar de um processo negocial, integrador e convergente, com vista à concretização entre a Polis da Ria de Aveiro, o Município de Mira e demais entidades com competência sobre o sistema hídrico em que se insere a Barrinha de Mira, do respectivo desassoreamento e reposição da qualidade ambiental desta lagoa costeira”.

A intervenção consiste na remoção de uma camada do fundo da Barrinha e transposição desses sedimentos para o litoral, com a respectiva deposição na zona de rebentação, sendo a reposição realizada a partir do esporão da Praia de Mira.

“A operação de Desassoreamento da Barrinha de Mira com transposição de sedimentos para o litoral consiste na remoção de uma camada de 0,30m de espessura do seu fundo, a qual corresponde a um volume de 96.116 m3 de sedimentos, numa área total de 333.285 m2, e a sua deposição na zona de rebentação (praia imersa), sendo a repulsão efetuada a partir da cabeça do esporão da praia de Mira, para barlamar, de forma a reforçar a deriva litoral”, esclarece a Sociedade Polis da Ria de Aveiro.

Ainda segundo nota divulgada na sua página da Internet, a Polis de Aveiro esclarece que “a dupla função de, por um lado desassorear a lagoa, como essencial para a recuperação e valorização dos ecossistemas e para a prevenção de cheias, e, por outro, reforçar a praia com os sedimentos provenientes do desassoreamento, apresenta-se como uma solução técnica bastante adequada e sustentável para proteção costeira em zona de risco”.

De acordo com fonte do município, “esta é a metodologia que melhor servirá os interesses em jogo, do ponto de vista ambiental”, uma vez que possibilita, em simultâneo, o desassoreamento da Barrinha e o reforço da deriva litoral, em virtude da deposição dos sedimentos numa zona afetada por uma progressiva erosão costeira.

Os trabalhos de desassoreamento serão também importantes para travar a invasão da Barrinha por jacintos-de-água, uma espécie invasora que ameaça o ecossistema da lagoa.

“Foi com grande alegria que recebemos esta notícia, uma vez que se trata de uma intervenção de extrema importância para o município. Neste sentido, agradecemos à Administração da Sociedade Polis Litoral da Ria de Aveiro a concretização desta candidatura, entidade com a qual temos mantido uma excelente e profícua relação”, afirma Raul Almeida.

O autarca salienta ainda que, “desde a tomada de posse do actual executivo municipal, foram regularizadas todas as quantias em divida à sociedade Polis Litoral Ria de Aveiro (que ascendiam a mais de 400.000 euros), o que permitiu criar as condições necessárias para a concretização de mais investimentos daquela entidade no Município de Mira, os quais – entre a obra executada e os projetos ora submetidos – ascendem a mais de três milhões de euros”.

A Polis Litoral Ria de Aveiro – Sociedade de Requalificação e Valorização da Ria de Aveiro, SA, é uma entidade de capitais exclusivamente públicos, com maioria do Estado (56%), que tem como missão a operacionalização da intervenção de requalificação e valorização da Ria de Aveiro.