Banco de Recursos – Colmeia celebra 9.º aniversário

1371.bigO Banco de Recursos de Cantanhede – Colmeia completou mais um ano de actividade. Há 9 anos que esta resposta social se encontra disponível à comunidade.

A data foi comemorada pela equipa de voluntariado que assegura a dinamização da “Colmeia”, num almoço/convívio que contou também com a presença de técnicos do Município e do Vereador da Solidariedade e Acção Social, Pedro Cardoso.

O Banco de Recursos foi pensado para promover a cooperação entre entidades pertencentes à Rede Social de Cantanhede e criar uma verdadeira cadeia de solidariedade entre a população, no sentido de criar condições, de forma permanente e integrada, que permitam minimizar e dar resposta a problemas sociais existentes no concelho.

O projecto é dirigido a cidadãos e famílias do concelho de Cantanhede que se encontrem em situação de desvantagem socioeconómica. É um serviço de apoio imediato e directo, que dá resposta às necessidades básicas e secundárias das famílias e indivíduos, identificadas pela Rede Social do Concelho, visando a promoção da melhoria das suas condições de vida, através da atribuição de bens de várias tipologias (roupa, géneros alimentares, calçado, brinquedos, material didático, móveis, electrodomésticos, entre outros). Neste espaço funciona também o Banco do Leite, uma iniciativa do Lions Clube de Cantanhede, um dos parceiros do Banco de Recursos, criado há três anos e que tem como objectivo contribuir para a melhoria das condições de vida das crianças dos zero aos seis anos oriundas de famílias carenciadas.

No funcionamento do Banco está também patente a preocupação com a questão da sustentabilidade e preservação ambiental, através do combate ao desperdício e da reciclagem de produtos que já não estejam em condições, procedendo ao reaproveitamento de bens e equipamentos.

“No fundo somos um espaço de dar e receber”, refere uma nota enviada pelo Banco de Recursos, que acrescenta estar “muito grato às empresas, às escolas, às instituições e à comunidade em geral pela colaboração e empenho demonstrados relativamente a esta iniciativa, que beneficia, sem dúvida, toda a comunidade concelhia”.

Para o Vereador da Solidariedade e Acção Social, Pedro Cardoso, o banco Colmeia “é motivo de orgulho para o Município. O nível de actividade atingido pelo Banco de Recursos – uma verdadeira cadeia de solidariedade criada entre a população e que tem permitido resolver muitas situações de carência assim dar uma resposta social de grande alcance para fazer face às emergências sociais – tem funcionado como um complemento da intervenção social do Município de Cantanhede”.

Voluntários fazem a diferença…

A dinamização do Banco de Recursos está, desde o seu início, a cargo de uma equipa de voluntários do Banco de Voluntariado de Cantanhede, que assegura o funcionamento do mesmo, com o supervisionamento do Município através da Divisão de Educação e Acção Social, que orienta, supervisiona e acompanha, tendo desenvolvido um trabalho que contribui para o bem-estar da população mais fragilizada do Concelho de Cantanhede.

“Nestes nove anos, a acção do Colmeia é o resultado do trabalho empenhado e constante de cerca de duas dezenas (19 este ano) de voluntários que asseguram a actividade regularmente”, refere uma nota, onde Pedro Cardoso acrescenta que o facto de o Banco de Recursos assentar na lógica do Voluntariado, “é também uma prova evidente de que os Voluntários são parte da solução na construção de uma comunidade mais justa, mais humana, mais fraterna e mais solidária”.

No almoço/convívio que assinalou o nono aniversário da instituição, o Vereador do Solidariedade destacou o importante papel de todos os voluntários na concretização deste projecto: “Para além de enaltecer o trabalho desenvolvido, deixem que vos diga, que temos um enorme orgulho em todos vós, que ofereceis à comunidade um tempo de gratuidade ao serviço dos outros. Numa sociedade tão marcada pelo individualismo, pela competição, por interesses, o voluntariado continua a ser um sinal anunciador de um futuro de esperança”.

“Claro que esta resposta é apenas um aspecto, entre muitos outros, para chegar às causas ou raízes das difíceis questões que geram pobreza, exclusão, abandono ou indiferença, mas claramente um passo significativo, ainda que pequeno, na busca do conhecimento das situações que importa socorrer e encontrar solução para os problemas. A atenção generosa e gratuita de muitos destes cidadãos ao bem do próximo revela uma cultura de solidariedade, que não pode deixar de ser apresentado como um sinal de esperança”, frisou o autarca.

O Vereador aproveitou ainda o momento para lembrar, com saudade, a voluntária Helena Machado, “que já não se encontra entre nós, e que foi das primeiras voluntárias a abraçar esta causa, com muita dedicação, muitas vezes sem condições de saúde, mas que não deixava de cumprir o seu horário e de estar presente nos momentos de convívios ou passeios, onde nos presenteava sempre com um poema feito espontaneamente e alusivo ao momento”.

Com o lema “Ajude-nos a ajudar”, o Banco de Recursos apela ao envolvimento da comunidade e recorda que, quem desejar colaborar, pode fazê-lo durante todo o ano, nas instalações do Banco de Recursos Colmeia, na Rua Carlos Oliveira, de preferência no horário de abertura (9h-13h e 14h30-19h).