Artesanato de Licínio de Oliveira na Biblioteca Municipal de Cantanhede

A Biblioteca Municipal de Cantanhede tem patente ao público, até 30 de Setembro, uma exposição de artesanato da autoria de Licínio de Oliveira.

No total são mais de quatro dezenas de miniaturas representativas de actividades agrícolas e piscatórias características da faixa litoral do concelho. Inspirado no universo das referências etnográficas da Praia da Tocha, o autor apresenta réplicas de cenários típicos dessa zona, dando ênfase aos antigos palheiros de madeira construídos no areal e às pequenas embarcações de pesca xávega que ainda hoje existem. Os trabalhos foram elaborados a partir da reciclagem de materiais, designadamente restos de madeiras, caixas de papelão, redes de pesca, tinta acrílica, areia, búzios e penas, entre outros.

Licínio Mendes de Oliveira nasceu em Arazede, Montemor-o-Velho, em 1961, e reside em Feitoso, Sanguinheira, concelho de Cantanhede. Começou a trabalhar muito cedo, ainda na adolescência, como aprendiz e técnico de construção civil, que foi a sua profissão até aos 20 anos. Em 1984, ingressou na carreira militar na Guarda Nacional Republicana, onde foi soldado e cabo.

Desde muito jovem interessado na reciclagem de materiais e no aproveitamento dos restos de azulejos e de argila para elaboração dos seus trabalhos, Licínio de Oliveira intensificou a sua produção de artesanato a partir de 2010, dando seguimento à actividade do filho, também ele artesão, mas entretanto um pouco afastado por razões de ordem profissional.