Aprovada candidatura a fundos comunitários para requalificação acessível do Museu Etnográfico da Praia de Mira

A Câmara Municipal de Mira viu aprovado, no âmbito do Portugal 2020, na linha do turismo acessível do Turismo de Portugal, o projecto de requalificação do Museu Etnográfico e Posto de Turismo da Praia de Mira.

Tendo já completado a idade de 20 anos, no final do ano de 2017, o MEPT contará agora com uma intervenção que representa um investimento elegível de 278 mil euros, com um financiamento por fundos comunitários à taxa de 90%.

Esta operação insere-se na estratégia de aproveitamento dos fundos comunitários desenvolvida pelo Município, que tem procurado obter das linhas de financiamento, que vão sendo disponibilizadas pelo Portugal 2020, tudo o que for possível, em cada momento, de captar para o seu território.

A candidatura tem como objectivo a conversão do MEPT numa infraestrutura acessível a pessoas com diversos tipos de deficiências e limitações e consiste em três tipos de intervenções: uma no exterior do edifício, outra no interior do mesmo e uma terceira intervenção ao nível do discurso dispositivo e conteúdos.

A intervenção no exterior do edificado pretende colmatar dois problemas detetados: a criação de uma rampa de acesso a pessoas com mobilidade reduzida, uma vez que a existente não cumpre os normativos legais, e colide com a ciclovia na frente do museu; e ainda o arranjo da mancha não pavimentada no lado norte do edifício. A solução proposta para o exterior contempla assim a criação de uma rampa e nova escadaria de acesso, a qual se complementa com a criação de um mini anfiteatro ao ar-livre.

Esta solução permite que a actividade do museu se possa voltar também para o exterior, criando uma oferta diferenciada, acessível a todos.

De destacar ainda no exterior, que está contemplado a decapagem, tratamento e pintura de todas as fachadas do edifício, que apresentam já bastante degradação.

No que respeita à intervenção no interior do edifício, em termos arquitetónicos, está prevista a execução de casas de banho acessíveis (inexistentes na actualidade), elevador de acesso ao piso superior, bem como, a instalação de equipamentos essenciais à fruição do espaço por parte dos utentes com limitações de acesso. A proposta para o interior importa uma reorganização do espaço, passando a recepção para a ala norte, dando lugar ao WC’s acessíveis na ala sul. Com estas alterações no interior, será refeita toda a instalação eléctrica e instalados novos dispositivos de iluminação, a qual apresenta já um avançado estado de degradação e desajustamento aos normativos legais actualmente em vigor.

A terceira componente da intervenção vai no sentido de dar novo enquadramento a toda a exposição, tornando-se acessível a pessoas com diversos tipos de deficiência, sem no entanto perder a sua originalidade e cunho etnográfico, que é, de resto, a essência deste museu. Serão produzidas, legendas, audiodescrições, vídeos e demais elementos que permitirão complementar e enriquecer a exposição, permitindo que a mesma passe a ser acessível a todos os tipos de público, desde as pessoas com deficiências motoras, passando pelos invisuais, surdos-mudos, daltónicos e pessoas com deficiências cognitivas, de todas as idades.

A intervenção permitirá a transfiguração deste local histórico e cultural da Vila da Praia de Mira mais  acessível a todos, de modo a dar a conhecer a riqueza etnográfica do concelho, bem como as exposições não permanentes que ali se realizam e ainda tornar mais funcional o acesso ao Posto de Turismo, espaço cada vez mais procurado pelos turistas que visitam a Vila da Praia de Mira.

Esta proposta engloba-se numa aposta deste executivo em aliar a recuperação e conservação do património à busca pela diversificação da oferta turística, que no caso se concretiza no alinhamento da estratégia local com as linhas orientadoras do Turismo de Portugal.