Agrupamento de Escolas de Mira brilha em Concurso Nacional de Ciência

Os alunos de Mira estiveram em destaque na mostra nacional do concurso “Ciência na Escola”, da Fundação Ilídio Pinho, que aconteceu no dia 9 de Janeiro em Lisboa. Numa cerimónia que contou com a presença do Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, os jovens mirenses arrecadaram dois prémios com projectos científicos inovadores e de grande potencial económico.

O projecto “Efeito da água magnetizada na germinação e crescimento das lentilhas” surpreendeu os visitantes ao demonstrar que é possível aumentar a produção agrícola mundial em cerca de 8%, através da utilização de ímanes e de água magnetizada na rega de plantas. Com o apoio das professoras Maria Manuela Rocha e Maria Cândida Siegle, este estudo inédito foi realizado por seis alunos da escola básica de Mira – Afonso Oliveira, Miguel Góis, Bernardo Vilela, Rodrigo Cravo Roxo, Simão Ferreiro e Clara Laranjeiro.

O segundo projecto vencedor – “O que sentem as plantas quando são queimadas” – foi realizado por seis alunos da Escola Secundária: Afonso Catarino; Lucas Correia; Lucas Cavadas; Mariana Rebelo; Iara Palhavã; Bruno Fonseca e Cristiano Neto. Contou com a colaboração dos professores João Pedro Cainé, Custódia Dias e Ana Paula Vieira. Neste trabalho científico, foram analisados, pela primeira vez, vários parâmetros dos sinais eléctricos emitidos pelas plantas em resposta a estímulos externos. Os jovens cientistas de Mira conseguiram demonstrar que as plantas reagem com sinais específicos ao toque humano, ao frio, à chama de um isqueiro, às gotas de água e ao flash de uma máquina fotográfica. Este projecto contribui assim para um avanço importante na compreensão da “linguagem” e dos “sentimentos” das plantas.