A poesia de Fátima Negrão em “A Pele do Capim”

“A Pele do Capim” é o nome do último livro de poesia de Fátima Negrão. Apresentada no passado dia 12 de Março, na Biblioteca Municipal de Cantanhede, a obra remete para “o cheiro da terra quente (…), incorporando na poesia, a cor de sabores exóticos, o sol que queima a pele simples de suas gentes…”.

A obra conta com ilustrações do artista plástico moçambicano João Timane, amigo de longa data da autora, que “traduz em cor e forma os sentimentos expressos por palavras”.

Para além do presidente da Câmara Municipal de Cantanhede, João Moura, esteve também presente na apresentação da obra o escritor António Canteiro, pseudónimo de João Carlos Cruz, que deixou algumas pistas para a leitura de “A Pele do Capim”.

Para o autor de “O Silêncio Solar das Manhãs”, “embora dissemelhantes no carácter e na textura, a poética de Fátima Negrão e a pintura de João Timane (…) sugerem um encontro de sensações, partindo de linguagens conotativas distintas, um de frente para o outro: ela vestida na pele de nativa, declamatória, ele num palco de cor contemplativa, olhos nos olhos, num jogo de contrários, verso e inverso, súmula e rendição de aprendizagens através de troca de mesteres”.

Fátima Negrão nasceu em Moçambique mas deixou o país há 42 anos. Já com o curso do Magistério Primário e a experiência de um ano de ensino, em Lourenço Marques, actual Maputo, veio para Portugal na sequência da revolução de 1974, deixando em África os seus pais e dois irmãos mais velhos.