A pequena poetisa

Por trás do sorriso aberto de Juliana Maria Faustino Pires está uma grande timidez mas também um grande talento. Com apenas 10 anos, a jovem é conhecida na sua terra Natal, Febres, como a menina simpática que ajuda muitas vezes a mãe no supermercado, no centro da Vila. Porém, o que muitos não sabem é que ao “jeito” para a matemática – que mostra com a facilidade com que faz os trocos aos clientes – se soma o “jeito” para a poesia.

IMG_20160620_162158

Em conversa com o AuriNegra, Juliana Pires explica que o gosto pela leitura e pela escrita já vem de há vários anos: “Quando entrei para a escola já sabia ler e também escrever algumas palavras”.

Embora também goste de prosa, é na poesia que a pequena escritora se sente como peixe na água. “Apesar de ter começado a fazer mais poemas desde que me começaram a pedir na escola, há já alguns anos que ia escrevendo um ou outro”, diz-nos, sublinhando que normalmente os aponta no diário, onde escreve com frequência também os seus pensamentos e sentimentos.

“Faltam-lhe é já muitas páginas porque às vezes não gosto nada do que escrevo e arranco-as logo”, refere, entre risos.

A inspiração para a escrita, diz-nos a febreense, vem das diferentes épocas e estações do ano, “e de outras coisas importantes”.

Para Juliana Pires, a magia da poesia passa, acima de tudo, pela possibilidade de brincar com as palavras. “Gosto especialmente de fazer rimas e, às vezes, até invento palavras novas”, acrescenta, de sorriso rasgado.

Ler muito também é um factor que ajuda na parte da escrita. “Como leio bastante acabo por dar menos erros e por ter mais ideias para os meus poemas”.

Com efeito, o talento para a poesia desta jovem febreense não tem passado despercebido. Prova disso foi o 1.º Prémio no concurso de poesia da Escola Básica de Febres.

No poema vencedor, intitulado “O Inverno”, Juliana Pires fala da chuva, dos agasalhos e até de sopa quentinha. Para a entrevista ao AuriNegra, realizada numa tarde de sol e calor, decidiu “mudar” de estação do ano e escreveu-nos sobre o Verão.

Enquanto vamos tirando fotografias, a jovem, de caneta em riste, dá vida a mais uma quadra: “O Verão é uma estação do ano / Onde começa o sol / Gosto muito desta estação / Porque há muitos gira sol”.

“Estou a sentir-me inspirada”, diz-nos entre os disparos da máquina fotográfica, para a qual, ao mesmo tempo, vai posando divertida.

Quando crescer, Juliana Pires já sabe o que quer ser… e não, não é poeta. “Quero ser médica!”, afirma sem hesitar. A razão, assume, é porque gosta de cuidar dos outros, “principalmente de crianças e velhinhos com problemas de saúde”.

Agora, enquanto o novo ano lectivo não começa, vai aproveitando as férias, entre leituras, mergulhos e brincadeiras com os amigos. “Também gosto de jogar no computador, de brincar na rua às escondidas e à apanhada, de brincar com os meus dois cães e de estar na piscina que tenho em casa”.

As actividades desta pequena mas dinâmica jovem não ficam por aqui. Juliana Pires foi uma das crianças que fez parte da Marcha Popular Escolar de Febres, que se estreou este ano. Para além disso frequenta ainda aulas de Hip-hop: “Um dia fui experimentar e como gostei decidi continuar. Gosto desse tipo de dança”.

Em Setembro, dá início a uma nova fase, pois vai passar para o 5.º ano e, consequentemente, para uma nova escola. “Não me assusta, estou preparada para mudar de escola, para aprender coisas novas e para conhecer novos amigos”.

 “O Inverno”

O inverno é frio,

Cai muita chuva e gelada,

Temos de ter cuidado

Para não escorregar na estrada.

 

O inverno é aborrecido,

Temos de usar cachecoizinhos

Para não adoecermos,

Temos de andar bem agasalhadinhos.

 

O que comemos é fundamental

Para termos uma boa alimentação,

Temos de comer sopa quentinha

Para alegrarmos o coração.

 

O inverno tem festividades

Para nos animarmos.

Festejamos o Natal e o Ano Novo

Que é um prazer festejarmos.

 

O inverno também tem frutos

Como a pêra, a banana e a maçã,

Temos de os comer

Para passar uma boa manhã.

 

No inverno há flores

Como os amores-perfeitos,

Temos de fazer boa escolha

Para termos uns bons direitos.

Juliana Pires