Alunos da ETPC limparam areal da Praia da Tocha

No âmbito do Projecto Eco-Escolas, a Escola Técnico-Profissional de Cantanhede (ETPC) realizou, no passado dia 15 de março, uma saída de campo que incluiu uma acção de limpeza na Praia da Tocha.

 

A limpeza foi promovida pelas professoras coordenadoras do Projecto Eco-Escolas da ETPC, Catarina Soares e Ana Fontes, em parceria com a Câmara Municipal de Cantanhede, e contou com a participação de 50 voluntários.

Garrafas de vidro e de plástico, sacos de plástico, embalagens de comida, detergentes, fraldas, lâmpadas, pneus, paletes, produtos de higiene, lixo doméstico, redes de pesca, boias, seringas são alguns dos muitos exemplos de resíduos que os alunos da ETPC recolheram na Praia da Tocha.

Num planeta em que os oceanos representam cerca de 70% da sua superfície, investigadores dizem não existir hoje pedaço de mar, do Pólo Norte ao Pólo Sul, que não esteja contaminado pelo lixo marinho.

O lixo marinho é composto por materiais sólidos fabricados ou transformados que vão parar ao ambiente marinho de várias formas. Uma grande parte chega ao mar transportado por rios, onde o lixo foi depositado. Este lixo é uma ameaça para a vida selvagem e para os ecossistemas marinhos, pois afecta o bem-estar e a saúde ambiental e provoca problemas de saúde ao entrar na cadeia alimentar. Pode ainda ter um grande impacto no turismo e custos elevados para a economia.

Infelizmente, o que vemos dar à costa, representa apenas 15% do lixo que existe no oceano, sendo que o restante se encontra à superfície da água (15%) e no fundo do mar (70%). Este é um problema global que está na origem de fenómenos como a “ilha de lixo” no Giro do Pacífico Norte, cuja área se estima ser igual ou maior que 700.000 Km2. É urgente sensibilizar a sociedade para este problema assim como, regular e gerir de forma mais sustentável o nosso meio marinho.

Em apenas um dia, esta iniciativa permitiu, para além do muito lixo que ainda lá permaneceu, retirar 63 sacos de detritos do areal e constatar que, apesar da grande diversidade de resíduos, cerca de 80% provém da pesca.